Top 5 “Carro Elétrico Ainda Não”

A mobilidade elétrica está para ficar mas ainda está repleta de incertezas, mistérios e receios.

Carros Elétricos

1 . Mobilidade Elétrica é apenas comprar Carros Elétricos

O primeiro erro consiste em pensar que tudo o que é preciso para mudar para um carro elétrico é comprar um carro elétrico. É quase tão simples, mas alguns pequenos detalhes têm de ser acautelados para que a tua experiência seja espectacular e sem stress. Um dos pormenores é garantir que o carregamento do teu veículo é um processo normal. Será um erro comprar um carro elétrico e apenas depois pensares onde vais carregar o teu carro, pois nesse instante ficarás dependente do carregamento dos pontos públicos, cujo custo pode ser até 5x superior do que carregar em casa ou no emprego.

Se carregares em casa irás poupar imenso dinheiro em combustível, impostos e manutenção, pelo que as tuas contas devem incluir logo o custo de um ou dois carregadores (um para casa e outro para o emprego).

aqui um dos nossos modelos de carregador e aproveite a campanha de Verão.

2. Não compro um carro elétrico porque ainda não têm autonomia suficiente

Já te perguntaste quantas vezes fazes mais de 150 Km num único dia? Se a tua resposta for “Nunca” ou “Inferior a 5% dos meus dias” ou “Cerca de 15 dias por ano”, então deves já comprar um carro elétrico. A questão da autonomia é normalmente um papão para os não condutores de carros elétricos. Mas a verdade é que os VEs são cada vez mais como os telemóveis.

O local para onde vamos tem normalmente um carregador e durante o período em que estamos no local de destino o carro está a carregar. Fica atento da próxima vez que estiveres num parque, garagem, restaurante, porque existe uma tomada perto de ti a que podes ligar um carregador portátil. No Grupo Joyn, em menos de 12 meses temos mais de 500,000Km realizados em EVs e nunca ninguém ficou sem bateria.

Como fator cómico, vemos mais carros a combustível parados e a pedir assistência porque ficaram sem a bateria que permite arrancar o motor.

Lembra-te que durante um dia normal nunca tens de carregar o carro totalmente e que durante a noite o carro está a carregar enquanto dormes. Durante o dia enquanto trabalhas. Tal como o nosso telefone móvel carrega enquanto estamos a fazer outras coisas, o nosso carro está a carregar em casa, no cinema, nas compras ou durante o nosso fim de semana fora.

Em viagem nada melhor do que parar 30 min a cada 200 Km para beber alguma coisa e descansar. Esses 30 min de descanso em poucos dias do ano equivalerão a cerca de 10,000 a 20,000 Eur poupados em combustível, manutenção , IVA e outros impostos.

Evolut Carro Elétrico

3. Não compro (ainda) um EV porque os EVs vão desvalorizar muito

E o que achas que vai desvalorizar mais depressa, um Diesel / Gasolina comprado novo ou um EV? Com várias cidades Europeias a proibirem a circulação de veículos a Diesel a partir de 2030, o valor residual dos carros a combustão está a cair a pique. A argumentação de que os EVs futuros cada vez têm mais autonomia e que isso faz desvalorizar os actuais EVs não entra em consideração com a comparação com os carros a combustão. A questão é entre um Diesel e um EV comprado novo, qual é que vai desvalorizar mais depressa no futuro. Com muitos dos fabricantes a deixar já de construir carros a Diesel, o valor residual está a baixar e o custo de manutenção está a subir devido ao custo de substituição de peças. Adicionalmente, as rendas dos carros a combustão estão a subir nas locadoras financeiras precisamente para acomodar a perda do valor residual futuro.

Com muitos dos fabricantes a deixar já de construir carros a Diesel, o valor residual está a baixar e o custo de manutenção está a subir devido ao custo de substituição de peças. Adicionalmente, as rendas dos carros a combustão estão a subir nas locadoras financeiras precisamente para acomodar a perda do valor residual futuro.

Adicionalmente, os construtores estão a abandonar o Diesel pelas questões de poluição e os Gasolinas produzem muito mais CO2 do que os Diesel, criando enormes problemas relativamente às metas climáticas do acordo de Paris. Razão pela qual os construtores, para evitarem pagar multas pela venda de carros emissores de CO2, vão acelerar ainda mais depressa a migração para elétricos.

4. A rede elétrica não aguenta

Estamos muito longe deste cenário. Para isso acontecer seria preciso que em Portugal tivéssemos cerca de 50% de stock de carros elétricos. A actual capacidade instalada da rede elétrica permite suportar durante os próximos anos todo o volume de carga expectável sem grande problema. O custo de aumentar a potência contratada ao fornecedor de energia custa apenas alguns Euros por mês. Se considerares que podse estar a poupar entre cerca de 100 a 200 euros por mês em combustível e, em vez disso, pagar mais 10 Eur por mês para ter a potência necessária instalada, vês que o custo é perfeitamente justificável.

Aliás, este é todo um novo tema, mas com as baterias a terem o custo a reduzirem-se cerca de 30% ao ano, toda a gestão da rede elétrica vai mudar nos próximos cinco anos. Com o aparecimentos dos veículos V2G (vehicle to grid) iremos assistir inclusivamente à possibilidade de veículos carregados poderem ajudar no carregamento dos outros veículos diminuindo a pressão sobre a rede e permitindo homogeneizar o carregamento durante todas as horas do dia.

5. Os carros elétricos são mais caros

Os carros elétricos são mais económicos em qualquer das vertentes de análise. O custo total tem de ser visto de forma global e não apenas no valor de aquisição anunciado. Alguns factos importantes a ter em consideração:

a) Recuperação do IVA se o valor do carro for até 62 500Eur antes de IVA. Num carro com um valor total de 40,000 Eur c/IVA, o carro ficará por 32,520 Eur

b) Isento de Tributação Autónoma. (TA) Num carro de valor total de 40,000 Eur c/ IVA, a TA de um Diesel é de 35%, ou seja 14,000 Eur. Se o carro estiver a ser amortizado em 4 anos pagará mais 3,500 Eur ao Estado.

c) O custo da eletricidade equivalente é de cerca 2,5 Eur / 100 Km. No caso acima, um Diesel a consumir 6L/ 100Km e com uma TA de 35% (sim, aqui também se aplica), o custo equivalente é de cerca de 12 Eur/ 100 Km, cerca de 5 vezes mais

d) Um carro elétrico tem apenas 300 peças no seu trem motor. Muitas destas peças são estáticas. Um carro a Diesel / Gasolina, por comparação, tem cerca de 1,200 peças, muitas delas com movimento e com movimentação de fluidos. Um carro elétrico em 4 anos apenas precisa de mudar, praticamente, os pneus, sem sequer precisa de discos e pastilhas porque a travagem é eletromecânica regenerativa. Por comparação um Diesel / Gasolina tem circuitos de óleo, água, combustível com uma enorme lista de bombas, filtros, fluidos. Toda esta manutenção pode custar facilmente cerca de 1,000 Eur (mais 35% de TA) ao ano para além dos pneus,

O curioso é que, na própria vertente dos construtores, já se chegou à conclusão que a construção de um carro elétrico é também mais económica. Um VE tem menos 900 peças no trem motor do que o seu contra-parte de combustível. Num dia de fábrica, um trabalhador consegue montar 1,000 peças num VE mas apenas 300 num Diesel. O custo das baterias está a baixar 30% por ano. Alguns construtores indicam que a partir de 2024 já não é viável produzir carros que não sejam elétricos!