7º Mito – O Lítio é Escasso e vai Acabar

Para destruirmos este mito temos de viajar um pouco pelo espaço, desde os confins da nossa galáxia até ao nosso Sol.

O Mito de que o Lítio é Escasso e vai Acabar

Após o Big Bang (e não entrando em muitos detalhes técnicos, peço já desculpa a astro-físicos de alguma pequena incorreção), o Universo ficou povoado de átomos de hidrogénio. O importante a reter é que esses átomos de hidrogénio formavam a maioria da matéria do Universo. Esses átomos, que são matéria, vão-se juntando e unindo pela força da gravidade. Começam por formar nebulosas que se tornam cada vez mais compactas e que começam a aquecer devido à compressão. E há um instante em que uma estrela nasce, quando os atómos que já estão muitos juntos começam a chocar uns com os outros. Nesse instante, a estrela nasce pois inicia-se um processo de fusão nuclear. Esse processo de fusão nuclear nada mais é que juntar dois átomos de hidrógeno gerando um atómo. Resultado, de dois átomos de hidrogénio com um protão cada um, nasce um átomo de hélio com dois protões (na verdade, os ciclos de fusão são mais complexos, mas para efeitos de percepção simplificámos)

O importante é que dois átomos de hidrogénio (H) criaram um átomo de hélio (He)1. E agora temos H e He. E a história continua. Ainda com muitos H e poucos He. Mas à medida que milhões de anos passam, alguns H também encontram He e chocam com eles. Agora ficamos com…….. Lítio (Li). Para quem ainda se lembra da tabela periódica temos H, He, Li, Be, B, C. 

É por isto que o Ouro é mais raro. É preciso muitas mais colisões porque o Ouro tem cerca de 60 protões. É por esta mesma razão que o Urânio ainda mais raro é. Mas o Lítio não é raro.

O Lítio é até extremamente abundante na crosta terreste do nosso planeta2. Faz sentido, porque tal como o hidrogénio, carbono ou oxigénio, é mais leve que o ferro. Quando a Terra se formou, no núcleo ficaram os materiais mais pesados e na superfície os mais leves.

Porque se diz que há falta de lítio? Na verdade não há falta de lítio, mas até agora a humanidade nunca precisou de muito lítio. E como tal, não tinha investido os recursos necessários para criar minas de lítio e o seu processamento e tratamento.

Por isso, nos últimos 24 meses, iniciou-se um processo maciço de investimento em minas de lítio. O resultado? Em meados de 2019 já temos excedente de oferta de lítio no mercado mundial3 e os preços estão a cair a pique, o que mais favorece a venda de carros elétricos porque o custo ainda mais competitivo fica, quando comparado com os carros a combustão.

Links:

  1. Geração dos átomos e lítio
  2. Abundância de lítio na crosta terreste
  3. Artigo da Bloomberg sobre o excendente de lítio